Eleitos do PS saúdam Prémio Cultural, mas criticam postura manipulativa da CDU


A tomada de posição subscrita pelo executivo CDU teve o voto contra do PS, não pelo sentido original da mesma, mas porque é propositadamente transformada num puro exercício panfletário da habitual reivindicação ao estado central, desvirtuando o seu propósito. 

O Presidente da CM Seixal trouxe à reunião de Câmara de ontem uma tomada de posição sobre o Prémio Melhor Programação cultural 2017 (clicar para ler a tomada de posição). Esta tomada de posição, sublinhada com o nome “reconhecimento de um projeto de democratização cultural” mereceria, por si só a satisfação dos eleitos do Partido Socialista, porque naturalmente qualquer reconhecimento válido para o município é uma boa notícia para todos.

O problema é que, como sempre, o PCP transforma uma tomada de posição sobre um prémio num ataque ao governo e em exigências contínuas ao poder central, muitas delas espelho das suas próprias incapacidades no âmbito local.

Os pontos 1, 2 e 3 da tomada de posição mostram uma total manipulação da informação, transformando uma moção de regozijo sobre o prémio da SPA, numa imputação de responsabilidades ao governo

Tal é a cegueira, que o ponto 3, na sua versão inicial continha ainda uma impossibilidade legislativa, pois solicitava a isenção de iva na aquisição de instrumentos musicais para as escolas de música das bandas filarmónicas do concelho….. Ora os impostos são nacionais, não pode haver uma isenção para o Seixal. Esta situação foi notada pelos eleitos do PS e acabou retirada antes da votação.

O ponto 4 roça o caricato. Os eleitos do PCP pedem a garantia de meios financeiros para a recuperação do património histórico do Concelho. Mais uma vez, em tese, ninguém discorda disto, mas a verdade é que é legítimo perguntar: “e o que tem feito a gestão CDU?” Esta CDU deixou destruir, alterar e violentar património histórico, edificado, cultural e até arqueológico do concelho e exige agora ao governo que lhe dê meios para o preservar??

Os eleitos do Partido Socialista saúdam o prémio SPA ganho pelo Município do Seixal e, com isso saúdam, todos os agentes culturais e funcionários municipais desta área, mas não podem validar esta tomada de posição que abandona no preâmbulo o seu objetivo e a transforma em mais um elemento de luta contra o governo.

Neste sentido o Partido Socialista votou contra esta tomada de posição, por entender manipular os pressupostos que estão na sua génese que seria a de congratulação pelo prémio.

Os eleitos do Partido Socialista,

Eduardo Rodrigues, Marco Teles Fernandes, Elisabete Adrião e Nuno Miguel Moreira